Clínica de urologia e proctologia Geyer
Médico Urologista


Médico Urologista

Médico urologista em porto alegre.
Atendimento em Porto Alegre e região.

Doença androgênica do envelhecimento masculino (Andropausa)

Andropausa - DAEM

Andropausa é um termo criado por analogia com menopausa, fase que ocorre na vida de todas as mulheres após a parada da produção dos hormônios femininos pelos ovários por volta dos 45-50 anos. Ao contrário das mulheres, os homens não têm uma sinalização clara (como a parada da menstruação) para marcar essa mudança. Ambos, no entanto, assemelham-se por uma queda nos níveis hormonais. Estrogênio na mulher, a testosterona, no homem.

As mudanças físicas ocorrem muito gradualmente nos homens e podem ser acompanhada de mudanças de atitudes e de humor, fadiga, perda de energia, do impulso sexual e da agilidade física. Por ser uma alteração muito mais lenta e sem um momento claro de início, como acontece na menopausa, a Andropausa é uma designação inapropriada para esse quadro resultante da redução progressiva da produção dos andrógenos (principalmente a Testosterona) encontrado em pelo menos 20% dos homens com idade entre 60 e 70 anos, e que algumas vezes se inicia a partir dos 50 anos.

Uma designação mais adequada é Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino (DAEM). Com a idade, esse declínio nos níveis de testosterona irá ocorrer em praticamente todos os homens. Apesar disso não há maneira de prever quem vai ter sintomas de andropausa / DAEM de gravidade suficiente para procurar ajuda médica. Também não é previsível, em que idade os sintomas irão ocorrer em um indivíduo em particular. Os sintomas em cada homem podem ser também diferentes.

Além dos sintomas desconfortáveis, estudos mostram que esta diminuição da testosterona pode aumentar o risco para outros problemas de saúde como doenças cardíacas e osteoporose - ossos fracos. Uma vez que tudo isso acontece em um momento da vida quando muitos homens começam a questionar seus valores, realizações e direção na vida, é muitas vezes difícil de perceber que as mudanças que ocorrem estão relacionados com mais do que apenas as condições externas.

Causas

A partir de cerca de 30 anos, ocorre uma queda dos níveis de testosterona em cerca de 10 por cento a cada década. Todo homem experimenta um declínio dos níveis de testosterona, mas em alguns homens a redução é menor do que em outros. E quando isso acontece, estes homens podem experimentar os sintomas da andropausa / DAEM.

Mudanças de atitude, estresse psicológico, álcool, medicamentos, obesidade e infecções podem contribuir para o seu início.

Estes sintomas podem impactar na qualidade de vida e pode expô-los a outros riscos a longo prazo da testosterona baixa. Estima-se que 30% dos homens nos seus 50 anos vai ter níveis de testosterona baixa o suficiente para causar sintomas ou colocá-los em risco.

Testosterona

A testosterona é um hormônio produzido nos testículos e nas glândulas supra-renais. Ela ajuda a construir a proteína e é essencial para o comportamento sexual normal e produzir ereções. Também afeta muitas atividades metabólicas, como a produção de células sanguíneas na medula óssea, a formação óssea, metabolismo lipídico (colesterol e triglicerídeos), o metabolismo dos carboidratos (açucares), funcionamento do fígado e no crescimento da próstata.

Sintomas

Existe grande variabilidade nos níveis de testosterona em homens saudáveis por isso nem todos irão sentir as mesmas alterações, na mesma medida. Mas as respostas típicas para níveis baixos de testosterona incluem:

  • Redução da Libido – redução no desejo sexual
  • Disfunção Erétil - ereção inadequada
  • Redução do número de espermatozóides e da fertilidade e Redução do Volume dos Testículos
  • Diminuição da Massa Muscular e Redução da Força Muscular
  • Aumento da gordura corporal central e superior
  • Maior chance de desenvolver Osteoporose ou ossos fracos e dor nas costas
  • Sintomas semelhantes aos da menopausa nas mulheres - Ondas de calor, Irritabilidade, Sintomas Depressivos e Piora da Capacidade de Concentração

Andropausa / DAEM e Osteoporose

Em um indivíduo saudável, os ossos estão constantemente sendo remodelados. Em um indivíduo com osteoporose ocorre mais perda do que contrução no osso. Todos nós ouvimos sobre mulheres que sofrem de ossos mais fracos, ou osteoporose após a menopausa. Nos homens, a testosterona é o hormônio que ajuda a contruir os ossos. Infelizmente, com o avançar da idade e o declínio dos níveis de testosterona, os homens, como as mulheres, parecem demonstrar um padrão semelhante de risco para a osteoporose. Além do mais, aproximadamente um em cada oito homens com idade acima de 50 realmente têm osteoporose.

Diagnóstico

Andropausa / DAEM é muitas vezes pouco diagnosticada, pois os sintomas podem ser vagos e podem variar muito entre os indivíduos. Alguns homens têm dificuldade em admitir que há mesmo um problema. E muitas vezes os médicos também não pensam em baixos níveis de testosterona, como um possível culpado.

Então, esses fatores muitas vezes levam os médicos a concluir que os sintomas estavam relacionados a outras condições médicas (ou seja, depressão) ou eram simplesmente relacionada com o envelhecimento e, muitas vezes incentivado seus pacientes a aceitar que "eles não eram mais jovens de 20 anos ".

Mas esta situação está mudando. Novos métodos de teste de sangue estão disponíveis e existe um interesse crescente no envelhecimento masculino.

O diagnóstico de Andropausa/DAEM em adultos deve ser dado somente quando existem sintomas e sinais que poderiam ser causados por baixos níveis de testosterona e a confirmação através de exames de sangue desses níveis consistentemente baixos de testosterona. O diagnóstico envolve o seguinte:


Uma história médica abordando:

  • História da puberdade - desenvolvimento sexual
  • Todos os medicamentos atualmente em uso
  • Problemas de relacionamento, tais como problemas sexuais
  • Eventos importantes que tenham recentemente acontecido na vida do indivíduo
  • História familiar de problemas semelhantes
  • As recentes alterações nas características do corpo (por exemplo: surgimento de mamas)
  • Problemas com os testículos - redução de volume ou inflamações

O exame físico:

  • Quantidade de pêlos do corpo
  • Presença de surgimento e crescimento de mamas
  • O tamanho e a consistência dos testículos
  • Tamanho do pênis

Dosagem dos níveis de testosterona:

  • Geralmente, os níveis de testosterona de 300 a 1000 ng/dl são considerados normais, mas esses valores podem variar entre laboratórios.
  • Recomenda-se colher esses exames de sangue pela manhã, quando os níveis são mais elevados.
  • Algumas doenças, desnutrição e certos medicamentos podem reduzir temporariamente os níveis de testosterona, e assim sendo a dosagem do hormônio deve ser coletada após suspender tais medicações ou após a recuperação plena da doença.

Eu tenho Andropausa / DAEM?

Existem questionários de sintomas que sugerem a presença de Andropausa / DAEM. Caso as respostas aos questionários façam o seu médico pensar em Andropausa / DAEM, os exames de sangue serão solicitados e muitas vezes repetidos para após isso iniciar a reposição de testosterona se necessário.

Compreendendo os Riscos

Existem circunstâncias em que você nunca deve usar a terapia de reposição de testosterona. São elas:

  • Câncer de mama (em homens)
  • Câncer de próstata

Em alguns casos, a terapia de reposição de testosterona pode não ser bom para você. Se uma das condições abaixo se aplica a você, seu urologista irá decidir se (no seu caso específico) a terapia de reposição de testosterona é a solução certa.

  • Doença hepática
  • Doença cardíaca ou doença dos vasos sanguíneos
  • Edema (inchaço da face, mãos, pés ou pernas)
  • Próstata aumentada Exame de PSA >3,0 ng/ml sem avaliação médica
  • Doença renal
  • Presença de diabetes mellitus – açúcar no sangue
  • Apnéia obstrutiva noturna

Reposição de Testosterona

Essas orientações não se aplicam às pessoas que querem usar testosterona para melhorar a sua força, o desempenho atlético, físico ou aparência, ou para prevenir o envelhecimento. Usar testosterona para esses fins não é aprovado pela ANVISA.

Em muitos casos, a reposição de testosterona em homens com andropausa / DAEM pode ser altamente eficaz e benéfica. Não é para todos os homens, é claro, mesmo aqueles que apresentam os sintomas sugestivos podem ter outros problemas de saúde na raiz de tudo. Por isso você deve discutir com o seu médico se você seria um bom candidato para a terapia de reposição de testosterona.

Os objetivos com a reposição de testosterona são:

  • Melhora do Humor e Sensação de Bem-Estar
  • Aumento da Energia Física e Mental
  • Diminuição da Raiva, Irritabilidade, Tristeza, Cansaço e Nervosismo
  • Melhoria da qualidade do sono
  • Aumento da Libido e uma Melhora do Desempenho Sexual
  • Aumento da Massa Magra e a Diminuição da Massa Gorda
  • Aumento na Força Muscular Melhora na Densidade Óssea


A maioria destes efeitos são geralmente observado dentro de 3 a 6 semanas. Outros benefícios potenciais incluem a manutenção ou melhora da densidade óssea, composição corporal melhor, a massa muscular e a força muscular. Caso você seja um candidato para a terapia de reposição de testosterona, as opções de tratamento incluem injeções ou gel a ser aplicado na pele.

Importante: Qualquer estratégia para reduzir os sintomas e riscos da andropausa/DAEM deve incluir um melhor estilo de vida com uma dieta ideal, exercícios físicos regulares e redução ou suspensão do consumo de tabaco e álcool.

Uma vez iniciado o tratamento, exames de PSA e Hemograma devem ser feitos periodicamente, bem como dosagens dos níveis de testosterona em vários momentos durante o tratamento. Você deve consultar o seu urologista cerca de três meses depois de iniciar o tratamento ou quando o mesmo indicar para avaliar se você está melhorando e se você está tendo problemas ou efeitos colaterais.

Para os homens com osteoporose ou com passado de fraturas ósseas um exame de Densitometria Mineral Óssea da coluna vertebral e do quadril deve ser feito um ou dois anos após o início do tratamento para quantificar a melhora na densidade dos ossos.


Fonte: The Hormone Foundation - Patient Guide to Androgen Deficiency Syndromes in Adult Men